Já ouviu falar do Metaverso?

Se você ainda não conhece é melhor
já se acostumar em ouvir esse nome...

Inicio do Metaverso

Depois de Mark Zuckerberg anunciar a mudança de nome da sua empresa para Meta, a palavra ''Metaverso'' foi a mais procurada no Google durante semanas, em referência ao novo universo que vem se formando nos últimos meses. Esse conceito de realidade virtual engloba diversidades como aspectos socais, culturais e econômicos, mas isso não chega a ser uma novidade, de até o momento em que o dinheiro começou a circular nesse meio abrindo inúmeras oportunidades dentro desse multiverso.

Como o Metaverso funciona

Basicamente, é um universo virtual 3D, o propósito é que ocorra uma interação como se nós estivesse realmente inserido na internet. Em um mundo totalmente personalizado, onde você cria o seu avatar e por meio deles poderá interagir com outros avatares, trabalhar, comprar e vender as famosas ''skins'', é como se ao invés de você está olhando para tela, você estará dentro dela. Porém para adentrar ao Metaverso os usuários precisaram adquirir óculos e pulseiras especiais que captam os movimentos. Uma opção é usar a tela do seu celular por meio do Oculus Quest, fabricado pela de Zuckerberg. O próprio dono do Facebook acredita que isso se trata da maior revolução na maneira de como nós interagimos online, desde a invenção do smartphone.

O impacto do Metaverso na forma que nós trabalhamos

No início da pandemia, o trabalho remoto, famoso home office e virou uma tendência desde então, talvez tenha vindo para ficar, pelo motivo de muitas empresas tendo permanecendo mesmo após a vacinação e a flexibilização das medidas contra a Covid-19. Esse conceito do trabalho hibrido está presente no Metaverso, ou seja, você pode ter um emprego dentro de um ambiente artificial invés de ter na vida real, prometendo uma nova comunicação ou a maneira de como compramos algo, mas principalmente revendo conceitos, reduzindo relações e fadiga de um trabalho convencional. Uma das preocupações são os aspectos psicológicos, o Metaverso pretende lidar com questões de produtividade, como isso pode impactar na saúde mental do ser humano, a respeito de sentimento de solidão. A Buffer, empresa de gerenciamento de mídias sociais, divulgou recentemente um relatório que aponta que o grande desafio será a falta de contato com outras pessoas, o ambiente virtual defende que você será inserido em um mundo com outros players, tendo experiencias visuais e sensoriais durante esse processo. A imagem das organizações também pode sofrer mudanças. No mundo virtual, modelos de trabalho mais verticalizados, com menos hierarquias e mais colaboração, ganham força.

Concorrência

Não é só Mark Zuckerberg que está de olho no mundo virtual, no ano passado a Epic Games, empresa de jogos eletrônicos que está por trás do Fortnite levantou cerca de US$ 1 Bilhão para um plano de longo prazo para o Metaverso. A empresa de games já vem explorando essas experiencias virtuais há algum tempo já, com eventos realizados recentemente como shows e eventos de marcas famosas dentro do seu mundo digital, uma das apresentações contou com a presença de Ariana Grande, realizado em tempo real e contou com milhares de espectadores. A Epic Games e o Facebook não estão sozinhos também, esse grupo se fecha com O Roblox, um game que reúne players em uma plataforma milhares de jogos conectados ao ecossistema maior, em que os jogadores podem criar experiências diferentes. Todo o contexto do Metaverso ainda é uma novidade para nós, é um projeto muito ambicioso que promete revolucionar o mundo tecnológico. Se isso irá acontecer, só o tempo dirá, mas recomendamos você ficar de olho nesse mundo virtual e também aqui no blog da Wi para ficar sempre antenado em todas as novidades da tecnologia!